Tecnologia Touchscreen oferece interactividade aos utilizadores

Empresas e instituições podem ter diferentes necessidades para o seu público ou negócio. A experiência do utilizador, é um factor determinante para os projectos e a avaliação da usabilidade de interface touchscreen também.

Existem muitas variáveis a ponderar na escolha das tecnologias e componentes que devem integrar quiosques e mupis digitais. Com vários anos de experiência no mercado, a PARTTEAM tem um know-how alargado sobre a complexidade destas novas tecnologias touch e por isso, existem determinadas evidências a ponderar:

– Local de instalação do equipamento: Solução para interior ? Ou para exterior?
– Qual a dimensão do equipamento ? A estrutura é vertical ou horizontal ?
– Qual o software que a utilizar ?
– Quantos utilizadores esperam vir a utilizar o equipamento ?

A verdade é que existem inúmeras variáveis a serem analisadas, para que o produto final corresponda às expectativas dos utilizadores. Neste artigo, vamos aprofundar algumas destas características e perceber como podem influenciar a experiência do utilizador, ou como podem aumentar a complexidade dos projectos.

Era do Touchscreen 

O primeiro touchscreen da história nasceu através do inventor britânico E.A.Johnson . O equipamento foi desenvolvido para ser usado em radares de controle de tráfego aéreo, tendo perdurado até à década de 1990. O equipamento era capaz de suportar apenas um toque ( ainda não existia suporte multitouch ) e era binário, identificando apenas duas posições: toque ou ausência de toque.

Primeiro Touchscreen

Imagem Bill Buxton – Primeiro Touchscreen

Em 1982, Nimish Mehta, professor da Universidade de Toronto, no Canadá, apresenta o primeiro dispositivo multitouch do mundo. Até então, os ecrãs sensíveis ao toque não eram capazes de identificar mais de um toque por vez. O ecrã táctil começa assim a desenvolver-se e a obter outras configurações. Nos anos 90, começam a ser anunciados dispositivos tecnológicos com ecrãs tácteis para venda, dando início à era do touchscreen comercializável.

Actualmente, é impensável não recorrer às novas tecnologias touchscreen. Vivemos rodeados de quiosques digitais, smartphones, tablets, GPS e outros gadgets tecnológicos, que já fazem parte do nosso quotidiano.

Há uma série de tipos de tecnologia utilizadas no fabrico dos ecrãs tácteis. As mais conhecidas são: a Resistiva (DMR), a Capacitiva (ProCap ou PCAP), a Acústica (SAW), a Óptica, entre outras. Cada uma destas tecnologias possui qualidades e limitações e a decisão de qual tecnologia utilizar, deverá ser tomada tendo em atenção as diferentes características operacionais e ambientes para atender às necessidades exigentes.

A tecnologia mais usada é a Tecnologia Capacitiva Projectada (ProCap ou PCAP). Quiosques, mupis digitais, mesas interactivas, videowalls, entre outros suportes tecnológicos interactivos, todos eles podem integrar o ProCap.

ProCap

Os ecrãs capacitivos detectam toques rápidos e repetitivos, com capacidade para single touch ou multitouch do usuário. Nestes ecrãs, não existe necessidade de exercer pressão ou força para que o equipamento reconheça movimentos.

Vídeo – Experiência 360º do website Renault com o mupi digital NOMYU

Os equipamentos que integram a tecnologia ProCap compreendem vários componentes como:

  • Um polímetro (também chamado de foil) com filamentos incorporados, laminado em materiais não condutivos como o vidro, a madeira, etc.
  • Uma camada de protecção com os eléctrodos transparentes. São os eléctrodos, os principais responsáveis pela captação dos comandos: a indução eléctrica dos dedos faz com que esta camada seja accionada e envie os sinais para os softwares executados.
  • Um cabo USB que faz a ligação entre a placa electrónica e o equipamento.
  • Um software que permite calibrar esta tecnologia.

O próximo passo normalmente é aplicar esta película a um material (normalmente ao vidro) para originar o toque. As escolhas dos vidros, podem afectar a performance desta tecnologia, por isso é importante ter cuidado na escolha das mesmas, para assim, proporcionar uma boa experiência ao utilizador. A tecnologia ProCap permite também uma segurança extraordinária do equipamento. Uma vez que, é aplicada no lado contrário ao lado do toque, minimizando o risco de vandalismo.

Antireflex Display

Imagem – Mupi Digital NOMYU

Ao contrário da tecnologia de Infravermelhos, a tecnologia ProCap, não é afectada pela luz natural ou artificial, podendo assim, fazer parte de soluções tecnológicas interactivas para exterior ou interior. A tecnologia ProCap, permite a aplicação multitouch, maior resolução e brilho, menos distorções e novamente, mais precisão e menor tempo de resposta.

PARTTEAM tem uma experiência única no campo de tecnologias interactivas e preocupa-se com a qualidade da produção, dos seus quiosques multimédia e mupis digitais. Por isso, tem em especial atenção todos os componentes que integram os equipamentos tecnológicos que desenvolve. Desde o tipo de displays ( de elevado brilho e contraste ) às tecnologias mais amplas de toque, a PARTTEAM fornece soluções interactivas que têm como principal objectivo proporcionar experiências únicas de alta qualidade, adaptadas aos diferentes ambientes e espaços.

Interactividade Touchscreen

Imagem – Mupi Digital ADEYO

Suavidade e Desvanecimento

Desenvolvido para proteger displays como o LCD e LED, o vidro Anti-Glare oferece uma experiência ultra-suave, apresentando uma melhor experiência a nível de toque. Em dias de sol, o brilho e os reflexos podem ser um enorme problema obstruindo a visão dos utilizadores. As propriedades únicas do vidro Anti-Glare, permitem filtrar e reduzir esses elementos inconvenientes, tornando a experiência mais agradável.Air Gap Display

Os quiosques e mupis da PARTTEAM são produzidos com a mais alta tecnologia em processos totalmente automatizados, apresentando uniformidade, acabamento e performance incomparáveis. Este vidro, recebe um tratamento químico especial que oferece alta resistência a arranhões e manchas.

Menos Air Gap … Mais resposta

Os engenheiros e técnicos da PARTTEAM conseguiram no desenvolvimento dos quiosques e mupis digitais, reduzir substancialmente a camada de ar entre o vidro e o display. Este tipo de construção oferece menos reflexos e uma visão mais clara, mesmo com a exposição solar intensa. Através da redução da camada de ar, é possível aumentar a capacidade de resposta e reduzir os efeitos paralax.

Quantos mais nits, mais brilho tem o display

Display Nits

A Sinalética Digital tem sido amplamente usada, transformando a plataforma comercial tradicional em algo mais criativo e atraente. O display é um dos componentes mais importantes e um dos mais difíceis de explicar e compreender. O brilho de um display para exterior possui características diferentes de um display para interior. A luminosidade de um display, é medida normalmente pelo número de Nits ou candela por metro quadrado (Cd/m2) . Quanto mais alto for o valor do Nit, mais brilhante será o display.

Interactividade na ponta dos dedos

Resumindo, a tecnologia ProCap combinada com diferentes materiais e componentes, proporciona inúmeras vantagens aos utilizadores, tais como:

  • Qualidade e Durabilidade do equipamento
  • Imagens nítidas e contraste elevado
  • Suavidade e Desvanecimento
  • Usabilidade e Precisão
  • Filtro e Segurança

Futuro e versatilidade

“A inovação é o instrumento específico do empreendedorismo, o acto que confere aos recursos uma nova capacidade de criar riqueza.” Peter Drucker

Os displays interactivos são hoje uma constante na vida da maior parte das pessoas e cidadãos. Existem mais aparelhos que substituem teclados, botões e outros dispositivos de interface, pela interacção. Seja em tablets, smartphones, quiosques self-service, mupis digitais, entre outros. A tendência é que esta tecnologia cresça e se torne cada vez mais essencial no quotidiano das cidades, em empresas e organizações. Para elas, a PARTTEAM produz soluções à medida, com diferentes tecnologias touchscreen.

Imagem – Apresentação Steve Jobs

Recordam-se do Blackberry ? Um telemóvel que tinha o teclado como uma das suas imagens de marca. Quando surgiram os smartphones com ecrãs tácteis, sem botões fixos, houve uma ruptura desse modelo e as pessoas perceberam que a ausência de teclas, era na verdade um benefício, e não um problema.

Steve Jobs, notabilizou-se como co-fundador, presidente e director executivo da Apple. Em 2007, Jobs lançava o primeiro iPhone. A Apple não foi a primeira empresa a usar tecnologia touchscreen nos telemóveis, mas foi talvez a primeira a perceber e a reconhecer o potencial, para revolucionar o mercado. O touchscreen é a forma ideal de interacção entre usuário e sistemas.

A tecnologia em si é algo que está em constante evolução e que trará certamente novos benefícios para a sociedade, proporcionando novas ferramentas práticas e eficientes.

É por esse motivo que a PARTTEAM apresenta-se como uma empresa tecnológica inovadora e capaz de responder a todas as necessidades do mercado, desenvolvendo produtos e soluções À medida de cada cliente, empresa, parceiro ou distribuidor.

PARA SABER MAIS INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI